Há perigos ocultos nos seus fones de ouvido

Gostei0 Não Gostei0
Há perigos ocultos nos seus fones de ouvido 30epoucosanos.com - 777 dias atrás

A evolução da tecnologia permitiu carregar nossas músicas preferidas de um lado para outro e ouvi-las em qualquer lugar. Entretanto, o hábito de ouvir música em mp3 players também trouxe problemas para os ouvidos, que possuem estruturas muito especializadas e delicadas, responsáveis pela audição. À primeira vista, não detectamos esses problemas – mas o fato é que, aos poucos, a música alta vai acabando com a audição. Todo cuidado é pouco. 

Se você pretende apreciar suas músicas por muitos anos, comece pelo básico: abaixe o volume. Os tocadores de mp3 atuais são tão potentes que podem chegar a 120 decibéis em seu volume máximo – quando o nível recomendado é inferior a 80 decibéis. Para se ter uma ideia, essa intensidade máxima é o equivalente à de uma turbina de avião durante a decolagem. Estudos recentes mostram que o uso contínuo de mp3 players com fone intra-auricular favorece a perda de audição ao longo do tempo. O que determina a perda é a intensidade do som e o tempo de exposição. A percepção não é imediata, mas se torna mais evidente ao longo de uma década.
As estatísticas comprovam: até 30% das perdas de audição são creditadas à exposição a sons intensos, sejam eles em ambientes profissionais ou em lazer – como shows e aparelhos eletrônicos, incluindo os mp3 players. O que pouca gente sabe é que a surdez relacionada à exposição a sons intensos é cumulativa. Uma vez cessado o fator causador, a perda de audição estaciona, mas não regride. 
O grande problema é que a maioria das perdas iniciais passa despercebida, a menos que seja detectada por exames específicos, como a audiometria. Essa perda pode ser temporária ou permanente. Um exemplo de perda temporária é quando uma pessoa passa um tempo em uma boate e sai um tanto surda de lá – mas depois volta a ouvir normalmente. Já a perda permanente, cuja lesão é incurável, ocorre quando há destruição de estruturas da orelha interna – que não têm a capacidade de ser reparadas ou substituídas. Aqui se encaixam os usuários frequentes de tocadores de música com fones de ouvido.
Além da perda de audição, o som alto dos tocadores de mp3, discotecas e shows pode agredir o organismo de outras formas, causando zumbido, dores de cabeça, insônia e falta de concentração. A perda auditiva resultante pode até levar à dificuldade de entendimento. Atualmente, cerca de 20% da população brasileira – o correspondente a quase 30 milhões de pessoas – sofre com o zumbido, sintoma que pode indicar perda auditiva. Tantos fatores relacionados nos dão um panorama nada otimista: os jovens de hoje apresentarão problemas auditivos muito antes que seus pais e avós.
Para proteger o ouvido, deixe o volume do tocador de mp3 na metade da capacidade máxima do aparelho. Na dúvida, fique atento para que o som dos fones não seja ouvido pelas pessoas ao redor. Evite, ainda, ficar muitas horas seguidas ouvindo mp3. E, evidentemente, procure ajuda médica tão logo você perceba qualquer alteração na sua audição. São pequenas atitudes capazes de produzir grandes benefícios ao ouvido. Dessa maneira, você será recompensado com muitos anos de sons agradáveis, prazerosos e memoráveis, apenas cuidando da sua saúde auditiva.

Por Mauricio Kurc

Continuar lendo...

Relacionados

  • Comentários
Nome:
Comentário:
Código:
captcha

estatisticas